Todo ano é a mesma coisa. Corações por todos os cantos, na televisão, nas lojas, nas ruas, tudo por conta do Dia dos Namorados, data perturbadora para muitos solteiros. Mas, se você está cansado de ficar sozinho e já fez de tudo para conquistar um novo amor, saiba que a Programação Neurolinguística (PNL) pode ajudar nesse processo.

Isso porque, a técnica auxilia qualquer pessoa a entender tanto o funcionamento da mente feminina, como da masculina, além disso, consegue mexer diretamente na autoestima, trazendo mais confiança e determinação, dois dos principais pontos para conquistar um coração. Uma boa conversa, aliás, é meio caminho andado para a conquista e, através de técnicas de PNL, é possível conversar com uma pessoa trabalhando no seu emocional e fazendo com que sinta emoções agradáveis, fazendo o papo fluir. A linguagem corporal, também muito abordada na técnica, é outra aliada fiel, que, se dominada, aumentará muito as chances de engatar uma relação.

Vale lembrar que a maioria das pessoas gosta de se relacionar com aqueles que se parecem ou admiram. Na PNL também existe o chamado Rapport, que ajuda a criar uma conexão com o outro, demonstrando sinais de semelhança. O simples fato de uma pessoa igualar a linguagem corporal de quem pretende conquistar, imitando sutilmente seus gestos, já cria, desde o início da conversa, uma grande empatia, facilitando todo o processo. “Também é possível com a Programação Neurolinguística tirar da frente certas crenças que regem a maneira como vemos as outras pessoas e que acabam influenciando diretamente na hora de buscar alguém para ter ao lado. Ao quebrar esse comportamento, a pessoa fica mais aberta para provar novas experiências, o que aumenta a possibilidade de conhecer novas pessoas”, afirma William Ferraz, master coach especialista em Inteligência Emocional do Instituto IDEAH.

Após a conquista, porém, é necessário manter um relacionamento saudável, o que, para muitas pessoas, não é uma tarefa fácil. Isso acontece, de acordo com o especialista, em virtude das pessoas não conseguirem entender que cada membro de um casal “tem o seu próprio mapa”. “O mapa de cada pessoa é formado por suas próprias crenças, valores, experiências e também traz a influencias daqueles que mais convive, sejam os pais, parentes ou amigos. É por meio desse mapa que ela moldará suas atitudes na relação. Por isso, é importante que as pessoas envolvidas em um relacionamento aceitem o comportamento do outro, já que cada um age dentro daquilo que acredita. Ou seja, por mais que você não concorde com o que a outra pessoa diz ou faça, ela tem está na sua razão dentro da própria visão. Bater de frente é pedir para causar inúmeros conflitos, o que acaba minando o relacionamento”, conclui.

Pin It on Pinterest

Share This