Charles Dickens, romancista inglês, cunhou a famosa frase “a procrastinação é o ladrão do tempo”. Mas, você sabe qual é o verdadeiro efeito que esse ato causa na vida? Conceitualmente, procrastinar nada mais é do que deixar para depois ou, popularmente, “empurrar com a barriga” uma tarefa que deve ser feita, uma decisão que deve ser tomada ou um trabalho que deve ser concluído.

A grande maioria das pessoas é um pouco procrastinadora. Contudo, a dificuldade começa a aparecer quando há um exagero. No caso, a utilização da famosa frase “amanhã eu faço” é usada de forma recorrente e esse amanhã nunca chega. O resultado disso o estresse e o fim da paz de espírito, já que a pessoa se sente culpada do comportamento inadequado. “A maioria das pessoas adia algo que deve ser feito ou porque é uma questão difícil, ou porque consome muito tempo ou, no seu modo de ver, por ser algo desagradável. Por um tempo, essa atitude pode até trazer algum sentimento agradável, já que ela evita algo que não queria fazer, porém, ao mesmo tempo a pressão na mente por ter algo não concluído aumenta a cada dia. É um ciclo. No início a pessoa consegue deixar de lado. Depois de um tempo, ela passa a tentar deixar de lado, até que chega um ponto que ela não consegue mais ignorar e é tomada por aquilo”.

A Programação Neurolinguística (PNL), que faz questionamentos profundos; muda crenças e valores quando necessário; e ressignifica sentimos que servem como gatilhos negativos, ajuda a trabalhar o excesso de procrastinação, atuando principalmente na manutenção da motivação. Um primeiro passo para deixar de ser um procrastinador é reconhecer que sofre com problema e o quanto isso atrapalha a vida pessoal e profissional. Além disso, é importante entender a origem desse sentimento negativo, que normalmente é causado pela ansiedade de focar no resultado final. Ao focar somente no processo, a pessoa conseguirá superar o primeiro grande obstáculo.

Em seguida, é necessário estabelecer planos de ação para eliminar ou ao menos minimizar o problema. Uma das formas práticas é produzir uma lista por escrito de todas as coisas que está postergando. Ao lado de cada item é necessário colocar quanto tempo a questão está sendo postergada e o período que pretende solucioná-la. “Uma das formas de se motivar é parar para pensar quanto estresse e problemas essa tarefa não concluída está trazendo, além de quanto tempo você gasta tentando não pensar nisso. Ao entrar novamente nessa sensação de desconforto, a pessoa terá a motivação para seguir em frente. O ideal para que a tarefa seja cumprida é iniciar na mesma hora o que deve ser feito, ainda no calor da emoção”, afirma William Ferraz, especialista em PNL e diretor do Instituto Ideah.

Uma das formas de evitar que se pare no meio do caminho é comemorar as pequenas vitórias, que, ao longo do tempo, se tornam grandiosas. “Deve-se comemorar toda vez que inicia e realiza alguma ação importante. Ao dar crédito a si mesmo, a pessoa criará o hábito e terá o desejo de agir novamente. Quando se tratar de algo grande a se fazer, a solução é dividir o resultado que busca em diversas partes. Assim, não surgirá o sentimento de estar sobrecarregado. Outra ação que traz resultados práticos é se dar uma grande recompensa. Transformar uma tarefa ruim em uma oportunidade de alcançar algo positivo, por exemplo. Ao cumprir a tarefa, a pessoa pode se dar um dia de folga ou um jantar no restaurante favorito. Isso será mais um motivador”, conclui.

Pin It on Pinterest

Share This