O Brasil entra novamente em campo, nesta quarta-feira, pela Copa do Mundo, quando enfrenta a Sérvia, mas o fato é que as emoções de boa parte dos torcedores já estão à flor da pele. Caso o Brasil chegue à final, serão pelo menos mais cinco jogos, ou cerca de 450 minutos de muita emoção. Mas, existem determinadas técnicas de Programação Neurolinguística (PNL) que fornecem estratégias que ajudam as pessoas a manterem o controle da ansiedade, não somente durante as partidas de futebol.

Segundo dados revelados pelo World Health Mental Survey, que está ligado à Organização Mundial da Saúde (OMS), 20% das pessoas que vivem em São Paulo já tiveram ou ainda convivem com algum transtorno ansioso. Isso porque, em uma série de momento da vida, o cérebro age com o intuito de proteger o indivíduo da situação que ele mesmo cria em sua mente. Ao imaginar uma derrota ou uma situação de desconforto, por exemplo, o órgão é acionado, mandando cada vez mais ansiedade, nervosismo, insegurança e medo para o corpo, o que acaba interferindo diretamente nas nossas ações e impactando os resultados como um todo. “No momento que o cérebro cria uma noção irreal da situação é desencadeada a crise de ansiedade, o organismo responde ativando o seu modo de operação. Tem início assim, os batimentos mais acelerados, a respiração ofegante e a irritabilidade, fazendo com que a pessoa sinta que deve fugir de algum perigo eminente. É exatamente nesse momento que a PNL atua, compreendendo esse funcionamento interno para que possa ressignificá-lo”, explica William Ferraz, Master Trainer em PNL e diretor do Instituto Ideah.

O primeiro passo para ter esse controle emocional é descobrir o “gatilho” que desperta esses sentimentos. Depois de encontrar o responsável é preciso fazer exercícios de ressignificação, que ajudam as pessoas a regular os seus níveis de percepção acerca dos acontecimentos que motivam essas “falhas” emocionais. Perguntas como “por que isso me deixa ansioso?” e “O que isso significa realmente em minha vida?” ajudam nessa transformação de um momento de ansiedade para uma situação de tranquilidade. “A Programação Neurolinguística é um processo de ensinar as pessoas a utilizar todo o potencial do cérebro da maneira correta. Nesse caso, ela fornece não apenas estratégias para superar a ansiedade e o nervosismo do momento, mas principalmente, formas para desaprender o pensamento que faz surgir esses sentimentos. A partir daí, a pessoa conseguirá ser mais calma e bem menos estressada e ansiosa em diversos momentos, como assistindo uma partida de futebol”, garante William.

Pin It on Pinterest

Share This