Você se dá bem com a sua mãe, seu pai ou irmão? O sonho de todas as famílias é ter um relacionamento igual ao comercial convencional de margarina, onde todos da casa estão em plena harmonia. Porém, promover a paz em casa é algo desafiador. Nos dias de hoje, aliás, está cada vez mais comum o desrespeito e falta de tempo entre as partes, fatores que provocam a desunião. Basta uma palavra torta para o filho dizer que odeia a mãe. Ou um pequeno deslize da jovem para a matriarca soltar a famosa e irritante frase: “eu avisei!”. Tudo vira motivo de briga. A boa notícia é que com a ajuda da Programação Neurolinguística (PNL) é possível solucionar esse conflito familiar.

“Todo o relacionamento familiar tem uma importância fundamental. Porém, muitas vezes, os pais projetam seus próprios desejos e realizações nos filhos, um comportamento que pode provocar uma série de conflitos, que ganham uma proporção ainda maior, diante da dificuldade de comunicação. Dentro desse contexto, a PNL é de grande valia, já que ajuda no desenvolvimento da Inteligência Emocional, peça fundamental para construir uma relação saudável, que passará a ser pautada na compreensão, respeito mútuo e aceitação”, afirma William Ferraz, especialista em PNL e diretor do Instituto Ideah. Ainda de acordo com ele, a dificuldade nos relacionamentos está amplamente ligada a falta de habilidade das pessoas em administrar as próprias emoções. “É necessário aprender a lidar com as próprias emoções. Descobrir o verdadeiro gatilho que gera esse conflito familiar. Só assim ambos criarão consciência por trás dessa relação”, comenta.

Há, ainda, formas de melhorar um relacionamento já desgastado. Uma das primeiras atitudes para solucionar os intermináveis conflitos é aprender a se colocar no lugar da outra pessoa. De modo geral, ambas as partes precisam estar dispostas a “calçar o sapato do outro”, abrindo mão das próprias convicções. Aprender a ouvir também é fundamental, assim como aceitar os defeitos e fraquezas de quem está ao lado. “Outra forma de melhorar esse relacionamento é compartilhar mais os sentimentos e ideias. Falar sobre as emoções e não esconder ou tentar fingir que não as sente. Também é necessário aprender com os erros que fatalmente ocorrerão nessa relação país e filhos. A melhor coisa de um erro ou frustração é a lição que eles trazem. É aquela velha história, não dá para esperar resultados diferentes se a gente sempre faz tudo igual. Procure aprender com todas as experiências, mesmo que sejam negativas, evitando repetir situações que promovam conflitos”, comenta.

Por fim, é necessário compreender as diferenças. Entender as pessoas e seus sentimentos vai fazer com que a relação evolua para o lado positivo, com cada um entendendo melhor o seu lugar. “Treine sempre seus sentimentos de empatia e aprenda a observar com mais respeito os defeitos de outras pessoas”, conclui.

Pin It on Pinterest

Share This