Chegamos ao mês do Natal, e, junto a essa data, um clima especial toma conta da maioria das pessoas e dos lares. Porém, situações vividas durante o ano podem ter, de alguma forma, estremecido o relacionamento entre familiares, seja por questões pessoais, ou mesmo em virtude de divergências externas. Porém, nada melhor que essa época, cujo sentimento de renovação, solidariedade e paz está no ar, para tentar resgatar uma relação estremecida com os parentes próximos.

Segundo o especialista em PNL e diretor do Instituto Ideah, William Ferraz, qualquer família no mundo enfrenta desafios em meio ao desenvolvimento de um relacionamento saudável. “É algo muito comum esse tipo de desentendimento, sendo, inclusive, muito importante para o crescimento e o aprendizado dos envolvidos, porém, o problema acontece quando esses conflitos extrapolam um nível aceitável e saudável. Nesse cenário, o desenvolvimento humano, com técnicas de Programação Neurolinguística, pode trazer benefícios e melhorias nos relacionamentos interpessoais, afetivos e familiares”, comenta.

Conforme o especialista, os desentendimentos mais frequentes têm início quando os pais acabam tentando impor aos filhos as próprias formas de pensar, agir e lidar com o mundo, se esquecendo que, mesmo os filhos tendo as mesmas raízes e origem, eles podem pensar de formas diferentes. “No momento em que os filhos são podados e não conseguem espaço para ter as suas próprias crenças, convicções ou personalidade, há o início de um conflito. Porém, apesar de se tratar de um erro, os progenitores não fazem isso por mal, mas, apenas repetem as maneiras que foram criados. Por meio do desenvolvimento da inteligência emocional, entretanto, as pessoas desenvolvem maneiras de compreender e saber lidar com as próprias emoções e com a dos outros, sendo, inclusive, um ponto essencial para o sucesso pessoal e profissional.

Ao mesmo tempo, uma pessoa emocionalmente inteligente tem muito menos dificuldades para se relacionar de forma harmoniosa e produtiva. “Ela passa a ter a capacidade de perceber, saber lidar e controlar as próprias emoções, assim como aprende a perceber e se relacionar com os sentimentos dos outros. Também consegue superar suas frustrações quando alguma coisa não dá certo, o que evite que saia descontando em quem não tem nada com isso. Por fim, também aprende a expressar suas opiniões de forma clara, diminuindo a chance de gerar conflitos por algum mal-entendido”.

Ainda segundo William, ao desenvolver esse lado, a pessoa passa a não perder a paciência com as pessoas de quem gosta, fazendo com que os laços afetivos se tornem mais sinceros e confiáveis. Há, ainda, ferramentas e técnicas de comunicação que ajudam as pessoas a falar na mesma frequência e ouvir além das palavras. Também é possível identificar e eliminar as crenças limitantes que atingem pais e filhos, e que prejudicam a relação. “Os envolvidos passam, mesmo com as diferenças de opiniões, a ter um relacionamento e uma convivência mais respeitosa e harmônica”, conclui.

Pin It on Pinterest

Share This