No dia 27 de setembro comemora-se o Dia Nacional do Idoso, pessoa que possui idade igual ou superior a 60 anos. Todos os seres vivos envelhecem, mas muitos não conseguem lidar com esse processo.

É engraçado como as pessoas sentem vergonha da própria idade. Em festas de aniversário, por exemplo, é praticamente proibido e totalmente insensível questionar ao aniversariante quantos anos está fazendo naquele dia especial. Existem até velas de aniversário com formato ao invés de números, com um ponto de interrogação.

Graças à indústria dos cosméticos e à mídia, envelhecer se tornou sinônimo de “feiura” e “vergonha”. Porém, ao mesmo passo que envelhecer se torna algo negativo, com o avançada da idade, torna-se algo difícil também.

Diariamente, ao ligar a televisão, ouvir rádio ou ler notícias em quaisquer fontes, se comprova o fato de que muitos jovens e até mesmo crianças, não estão chegando à velhice. Sabe o motivo? Porque morrem jovens. Ou seja, enquanto muitas pessoas tentam esconder seus anos de vida, existem pessoas lutando por ela.

Atualmente, no Brasil, há em média 30 milhões de idosos e em 2060, 1 em cada 4 brasileiros terá mais de 65 anos. Por outro lado, de acordo com uma análise da Fundação Abrinq sobre dados do Ministério da Saúde, foi indicado que em 2016 a taxa de mortalidade na infância registrou piora, indo de 14,3 para 14,9 por 1.000 nascidos vivos, isto é, uma alta de quase 5%.Observando esses fatos, é possível concluir que envelhecer é uma dádiva.

Cada pessoa no planeta possui uma singularidade e é natural que depois dos 60 anos, dores e problemas se tornem frequentes. A pele fica flácida, os músculos sensíveis e os ossos fracos.

Diante desse cenário, a PNL pode ajudar o idoso e as pessoas do seu convívio a buscarem as mudanças necessárias para melhorar a qualidade de vida de todos os envolvidos, com atendimentos individuais e em grupo.

Através de técnicas e ferramentas específicas que avaliam a organização das emoções e dos sentimentos e de que forma eles direcionam nossas ações e comportamentos, ensinando como utilizá-los para chegar ao objetivo, a pensar sobre soluções e resultados.

Ouvimos por aí que quando envelhecemos temos que descansar. Descansar de quê?

Com o passar dos anos você percebe que o tempo abre espaço para desenvolver tarefas e utilizar o tempo livre para fazer o que se gosta.

Não deixe que os anos os façam perder a alegria de viver. Valorize a sua história, seus conhecimentos, suas experiências, sejam elas boas ou ruins, ensine, aprenda, saiba lidar com as mudanças e perdas.

Os pensamentos daqueles que acham que a idade avançada é sinônimo de inutilidade, vai ao encontro com a crença limitante de que tudo que é antigo ou velho tem que ser substituído, deixado de lado ou jogado fora. Muito pelo contrário, quebrar as barreiras impostas e dar valor a tudo o que perdura com o tempo significa abraçar o passado e dançar com o presente.

O idoso é como uma ostra no mar, que durante anos enfrenta tribulações marítimas, para chegar em terra, ao final de seu longo percurso, presenteando a natureza com lindas pérolas.

Você já viu alguém jogando pérolas fora?

Idade não é motivo de vergonha. A cada segundo que o corpo envelhece, sofre alterações e modifica, alguém dentro dele também muda. Por isso, ao invés de esconder a idade, cada idoso deve se orgulhar dela e inspirar outras pessoas à conquistá-la. Afinal, ser idoso não é para qualquer um. É para os fortes, àqueles que enfrentaram a pressão do dia-a-dia sem pestanejar e resistiram.

Ser idoso é uma bênção! Algumas pessoas viram pérola, outras nunca verão o mar. Enfrente o tempo sem temor, pois a alma não tem idade e a mente pode não envelhecer.

Respeitar o idoso é tratar o próprio futuro com respeito.

Nós, do Instituto Ideah, desejamos um Feliz Dia do Idoso a todas essas pérolas que fazem parte de nossas vidas. Gratidão por existirem!

 

 

 

Juliana Nascimento. Terapeuta do Instituto Ideah.

 

Pin It on Pinterest

Share This