No começo de junho, passamos por uma data que marca o combate à cefaleia. A cefaleia mais conhecida como dor de cabeça é um tormento presente no cotidiano da maioria dos brasileiros. Segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia, a dor de cabeça está presente na rotina de mais de 10 milhões de brasileiros e as causas podem ser as mais variadas, tais como sinusite, problemas de coluna, uso excessivo de analgésicos ou ainda decorrentes de doenças graves na cabeça.

Existem também alguns fatores que podem potencializar o surgimento das crises de dores de cabeça e entre elas citamos a ansiedade, estresse, alterações hormonais, distúrbios de sono (podendo ser ele em excesso ou escassez), má alimentação.

De forma simples, há três tipos de cefaleias:

Cefaleia crônica: caracterizada por dores constantes e diárias, geralmente sua frequência demora de 15 dias a um mês. Muitas pessoas acabam ficando dependentes de analgésicos.

Cefaleia tensional: não se confunde com a dor de cabeça causada por questões emocionais, está associada a tensão ou contração exagerada dos grupos musculares dos ombros, pescoço e até face.

Enxaqueca: Mais comum em mulheres do que em homens a enxaqueca se manifesta em forma de dor latejante e na maioria das vezes em apenas um lado da cabeça, e as crises também podem vir acompanhadas de náuseas, vômitos, fotofobia, tonturas, alterações visuais.

Há ainda outras linhas de pensamento e percepção sobre a dor de cabeça. No âmbito metafísico, a dor de cabeça é indício de preocupação excessiva com determinadas situações que assumem um caráter perturbador. A pessoa fica pensando de maneira obsessiva em fatos que, muitas vezes, fogem ao seu controle; mas nem por isso consegue se desligar. As pessoas que sofrem de cefaleia, geralmente comportam-se de maneira possessiva. Elas não sabem viver sem nenhum poder sobre as situações. É muito difícil para elas deixarem que os fatos simplesmente aconteçam, sem interferir nas ocorrências. Não permitem que nada escape ao seu controle, envolvem-se excessivamente com as questões exteriores, sobrecarregando-se de tarefas ou ficam com preocupações excessivas.

Citando a linha do pensamento sistêmico, Stephan Hausner, um terapeuta alemão que escreveu um livro dedicado a registrar seu trabalho com pacientes doentes atendidos com a Constelação Familiar segundo Hellinger.Para ele, a conexão entre as doenças e nossa família é ainda muito maior do que podemos imagem. Ele destaca em sua obra:

“Nossa vida e nossa felicidade são marcadas pela atitude que adotamos diante de nossos pais e da história da nossa família. Quando nos defendemos ou nos recusamos a reconhecer o que nos pertence, muitas vezes somos lembrados, por uma doença ou um sintoma, daquilo que excluímos.

 

E por fim, uma linha que é seguida e vivenciada na prática pelo Instituto Ideah, onde percebemos muitos resultados rápidos, é a Programação Neolinguística. Cursos de formações ministrados no Instituo Ideah nos mostram que é possível utilizarmos de técnicas da PNL (Programação Neolinguística) para tratamento ou alívio das dores de cabeça, para tanto se faz necessário um levantamento das informações das experiências vividas em relação as dores que podem sofrer alterações da distorção, omissão e generalização e após identificada a causa e possível entender como está organizada para que possa ser feito uma nova organização de acordo com o objetivo de cada indivíduo.

Tal tratamento é possível pois o estudo da PNL nos mostra que o corpo e a mente do ser humano constituem nossa unidade funcional, de forma que um interfere no outro. Todas as nossas experiências são representadas por meios de imagens, sons ou emoções que podem sofrer alterações da distorção, omissão e generalização.

 

Sol Santana – Terapeuta do Instituto Ideah

Pin It on Pinterest

Share This