Atire a primeira pedra quem nunca sentiu uma pontinha de ciúmes. É um sentimento comum da natureza humana. Porém, controlar os ataques de fúria é possível e vale o esforço. Confira abaixo a entrevista com o diretor do Instituto Ideah, William Ferraz

O que é o ciúme?
O ciúme é um sentimento tão normal quando os outros sentimentos e emoções. Geralmente, ele vem do medo de perder alguém – ou algo – e está ligado à falta de confiança no outro ou em si próprio. De acordo com os psicólogos israelenses Ayala Pines e Elliot Aronson, ciúme é “a reação complexa a uma ameaça perceptível a uma relação valiosa ou à sua qualidade”. Provoca o temor da perda e envolve sempre três ou mais pessoas, a pessoa que sente ciúmes – sujeito ativo do ciúme -, a pessoa de quem se sente ciúmes – sujeito analítico do ciúme – e a terceira ou terceiras pessoas que são o motivo dos ciúmes – o que faz criar tumulto.

Como o ciúme funciona no organismo?
O ciúmes opera diferente nos homens e nas mulheres.Para os homens, o sentimento funciona como uma garantia de paternidade, e por isso ele se ativa mais quando surgem pistas de infidelidade sexual ou de outros machos por perto e ativa mais as regiões do cérebro ligadas a comportamentos agressivos e sexuais, como a amígdala e o hipotálamo. Para as mulheres, o sentimento está mais ligado a manter o comprometimento e acesso aos recursos do companheiro e aumentar as chances de sobrevivência da prole e a área mais ativada durante as crises de ciúme é o sulco temporal posterior superior, associado à percepção de emoções nas outras pessoas. Embora ele comece como forma de preservar a relação entre homem e mulher, o ciúme pode rapidamente se transformar em um sentimento destrutivo.

Como é possível identificar/diagnosticar uma pessoa ciumenta?
As pessoas ciumentas costumam querer controlar o comportamento dos outros, pois sentem uma insegurança excessiva e grande medo de perda.

Quando o ciúme vira doença?
Quando os sentimentos começam a gerar comportamentos obsessivos, quando uma pessoa começa a invadir o espaço do outro. Nesses casos ouvimos muito frases do tipo, estou sufocado, me falta ar e etc. Também quando os comportamentos derivados do ciúmes começam a prejudicar as outras áreas da vida como profissional, saúde física, saúde familiar e etc.

Como é possível tratar o ciúme?
Os casos mais graves podem ser curados através de psicoterapia que podem passar por um reforço da autoestima e da valorização da auto imagem. Uma das formas mais rápidas de se trabalhar estes tipos de sentimento, e em um curto espaço de tempo, são os treinamentos de alto impacto como o Transformação e Liderança. Saiba mais clicando neste link. 

Seis dicas poderosas para controlar o ciúmes:

1-  Se coloque no lugar da outra pessoa, veja o momento a partir da perspectiva dela;

2- Cuide da sua autoestima – Quando estamos em dia com nossa autoestima, aumentamos nossa auto confiança, logo diminui a insegurança em perder o outro;

3- Conte a pessoa sobre o sentimento – Converse sobre o assunto com a pessoa, provavelmente descobrirá que a história na sua cabeça era muito maior do que a realidade, além do que, quando ficamos com algum pensamento incômodo, ele tende a crescer cada vez mais. Às vezes falar sobre ele ajuda a trazê-lo para o tamanho real;

4- Divida com outra pessoa neutra – às vezes outra pessoa (quando está neutra ao problema), também tem o poder de mostrar um outro ângulo do problema, e muitas vezes diminuir o tamanho do pensamento negativo;

5- Evite fazer filmes mentais pessimistas – Quando estamos desconfortáveis, inseguros e com medo, estes sentimentos tendem a criar várias possibilidades e filmes mentais sempre pessimistas, o nosso processo criativo fica excessivamente acelerado e criamos histórias realmente incríveis sobre o tema;

6- Relembre o passado e o que as crises de ciúmes do passado te trouxeram. Relembre as várias vezes que você quebrou a cara ou ficou sem graça por ter tido crises de ciúmes sem necessidade.

Pin It on Pinterest

Share This