Recentemente fui ao circo, era um circo especial chamado Mirror. Dentre tantas atrações fantásticas, uma delas foi o ápice do espetáculo, o Malabarista!

Ele começou equilibrando apenas duas emoções, aparentemente algo simples de se fazer, logo em seguida mais duas, depois outra e outra, e de repente ele estava na corda bamba se equilibrando com quase quinze emoções ao mesmo tempo. Medo, raiva, alegria, amor, tristeza, esperança, enfim, era um mix de emoções que se revezavam entre suas mãos e o espaço preenchido pelo ar.

As pessoas da plateia sentiam e vibravam com cada movimento do malabarista, em alguns momentos faltava-lhes ar de tanto susto, em outros, ouvia-se gargalhadas de alegria… nesse circo, a plateia se chamava “coração”.

Essa é uma pequena metáfora que pode trazer uma grande mensagem, de acordo com sua reflexão. Nós não temos o controle de tudo que acontece em nossa vida.

  • Como será o dia de trabalho?
  • O cliente aceitará ou não aquela proposta?
  • O que acontecerá ao virar a esquina?

E mesmo aquela pessoa que gosta de planejar tudo detalhadamente, ela sabe que imprevistos também acontecem, e para cada imprevisto, cada fato que ocorre, a emoção está presente, reagindo a cada acontecimento. E quem está sempre assistindo e pronto para absorver cada emoção? A plateia, ou melhor, o coração!

A saúde do coração está ligada ao controle de suas emoções, entre diversos outros fatores claro.

A proposta deste artigo não é falar especificamente sobre a parte clínica dessa relação Emoção x Coração. Existem diversos artigos e pesquisas que comprovam e trazem informações detalhadas sobre essa interação, dos quais gostaria de compartilhar dois bem interessantes da Harvard Medical School:

“Muitas vezes pensamos no coração e no cérebro como sendo completamente separados um do outro. Afinal de contas, seu coração e cérebro estão localizados em diferentes regiões do seu corpo, e cardiologia e neurologia são disciplinas separadas. No entanto, esses órgãos estão intimamente conectados e, quando suas emoções afetam negativamente seu cérebro, seu coração também é afetado.”

Harvard Health Blog  » Gerenciando suas emoções pode salvar seu coração – Harvard Health Blog. Disponível em: <https://www.health.harvard.edu/blog/managing-emotions-can-save-heart-201605099541>Acessado em 18/09/2018

“Uma pequena área em forma de amêndoa no interior do cérebro, chamada amígdala, está envolvida no processamento de emoções intensas, como ansiedade, medo e estresse. Agora, um novo estudo de imagens do cérebro revela como a atividade aumentada na amígdala pode desencadear uma série de eventos em todo o corpo que aumenta o risco de ataque cardíaco.”

Carta do coração de Harvard – Descobrindo a ligação entre estresse emocional e doença cardíaca.  Disponível em <https://www.health.harvard.edu/heart-disease-overview/uncovering-the-link-between-emotional-stress-and-heart-disease> Acessado em 18/09/2018.

Conhecer suas emoções, os gatilhos que as disparam, as âncoras que lhe permitem acessá-las, as reações fisiológicas do seu corpo, faz parte do processo de autoconhecimento, e embora tenhamos o prefixo “auto”, nem sempre somos capazes de fazê-lo sozinho. O auxílio de um profissional é extremamente recomendado e contribui significativamente para suas descobertas.

No Instituto Ideah temos diversos treinamentos cujo propósito é trazer para o consciente o entendimento de suas emoções, assim como profissionais qualificados para o acompanhamento em processos terapêuticos, psicológicos e de coaching. Entre em contato para saber um pouco mais.

Abraços!

 

 

 

 

Rodrigo Ramos é Coach, Analista de perfil comportamental, Master Practitioner em PNL, formado em Engenharia Mecânica e Coordenador de Formação do Instituto Ideah.

Pin It on Pinterest

Share This