Na semana em que se comemora o Dia Mundial da Saúde, muitas pessoas ainda não se deram conta que as questões emocionais são tão ou mais importante quanto as físicas. Uma boa saúde vai muito além da ausência de doenças, sendo impossível pensar em melhorias sem uma visão mais ampla do tema, como o cuidado com a saúde emocional.

Emoções como o medo, a tristeza, a raiva e a frustração, se vividas repetidamente, tornam-se tóxicas e contaminam o organismo. Para piorar, esse impacto das emoções negativas traz quadros de doença como estresse, ansiedade, cansaço extremo, alterações do sono ou em situações mais graves, depressão, colesterol elevado, alterações glandulares, ataques cardíacos, úlceras de estômago, entre outros. Da mesma forma que quando as emoções são positivas, encontramos um aliado no processo de cura. “As pessoas que são felizes ou, pelo menos, emocionalmente equilibradas não só adoecem menos como também tem uma recuperação muito mais rápida. Está mais do que provado que as emoções têm o poder de influir diretamente na saúde física. Por isso é imprescindível dar a real importância na busca pela qualidade das emoções”, diz William Ferraz, que é especialista em PNL e diretor do Instituto Ideah.

Para ele, é necessário que as pessoas entendam que as emoções são corresponsáveis pela saúde física e que é necessário manter sempre um equilíbrio emocional. “O ser humano precisa buscar os recursos internos para passar por todas as emoções e sentimentos decorrentes de uma vida. É necessário acreditar que é capaz de sustentar boas relações e a felicidade”, comenta. Uma das dicas dadas por ele para cuidar da saúde da mente é desenvolver a inteligência emocional, aprendendo a administrar emoções como medo, insegurança e insatisfação. “Quem atinge um bom nível de inteligência emocional não tem dificuldades para fazer amigos e nem de relacionar-se com os outros de forma harmoniosa. Ela também tem forças para persistir quando está frente a um novo desafio, não desistindo nas primeiras dificuldades. Essa pessoa consegue superar seus sentimentos de frustração quando alguma coisa não dá certo, procurando aprender com as experiências negativas. Diante dúvidas que será uma pessoa mais saudável emocionalmente”, revela.

Para alcançar esse nível de desenvolvimento emocional, William recomenda mudar atitudes e comportamentos, como compartilhar mais seus sentimentos e ideias; aprender com todas as experiências, mesmo que sejam negativas, evitando repetir situações que promovam frustrações; ouvir mais e falar menos. “É fundamental aprender a gostar até mesmo de particularidades que outras pessoas apresentam e que você critica. Conversar um pouco mais consigo mesmo, ouvir o que os outros dizem com sinceridade de você. Treinar seus sentimentos de empatia e aprender a observar com mais respeito os defeitos de outras pessoas”, conclui.

Artigo escrito pela equipe da Hayai Assessoria de Imprensa e Comunicação

Pin It on Pinterest

Share This